PERSEGUINDO AS SOMBRAS

 

 

Eu já passei por vários situações envolvendo o sobrenatural e o inexplicável com o passar doas anos. E eu cheguei a conclusão de que as nossas mentes nos protegem do desconhecido. Nós bloqueamos memórias que não queremos aceitar na hora, mas anos depois elas aparecem na nossa cabeça. Incrivelmente isso que eu vou relatar voltou para mim depois que eu li sobre a experiência de outra pessoa com sombras. Então aqui está algo que aconteceu comigo a quase 20 anos atrás, e que só agora eu estou lembrando. Eu tinha 9 anos, e passava o dia inteiro dentro de casa. Nessa época da minha vida, eu tinha sérios problemas para conseguir dormir à noite, principalmente por que os meus pais apagavam todas as luzes da casa.

Ficava tudo escuro feito breu, com muita pouca luz vindo da rua. Eu me lembro de acordar no meio da noite ouvindo alguns sons esquisitos, mas distantes. Eu achava que era só a minha imaginação, já que o meu irmão mais novo, que dividia o quarto comigo, parecia não ouvir nada. Mas eu ainda tinha a impressão de que tinha algo ali, parado nas sombras, me observando.

As semanas passavam e todas as noites eu acordava, ouvindo algum tipo de som, ou com uma sensação de frio, ou as vezes, algum pesadelo estranho me acordava. Eu nunca falei nada para os meus pais, já que eles nunca acreditaram e nada que tenha a ver com o sobrenatural, e se eu falasse eu achava que pareceria louco ou que estava mentindo. Então eu tentei vários métodos para lidar com aquilo: ver TV até tarde, colocar o travesseiro sobre a cabeça, passar o dia todo fazendo alguma atividade física para estar completamente exausto durante a noite e não acordar. Mas nada disso adiantava. Praticamente todas as noites eu acordava. Então com o tempo eu acabei aprendendo a me adaptar à situação.

Se eu podia evitar os garotos mais velhos no colégio que sempre queriam brigar com os mais novos e evitar os garotos nada bons da vizinhança, eu podia evitar o que quer que fosse que rondava a minha casa a noite. Então eu decidi que não seria mais intimidado no meu próprio quarto e usaria a melhor arma que eles tinham para isso, a escuridão. Então eu acordava entre 12 e 2 da manhã e procurava por todos os lugares que tinha pare me esconder. Depois de algumas noites, eu tinha toda a área mapeada na minha cabeça. Eu sabia de todos os lugares para se esconder em todos os quartos, sala, cozinha, banheiros e armários.

Então em uma noite eu me sentei em um canto para ver o que eu podia ver. E eles vieram. Eu fiquei surpreso, mas não com medo (o que é estranho para um garoto de 9 anos que tem medo do escuro). Eu mal podia ver as formas das sombras, elas não eram muito grandes, mas ainda assim eram impressionantes. Algumas delas pareciam ter a forma de um cachorro, outras pareciam com lagartos, e outras não tinham forma nenhuma, apenas sombras vivas se movimentando. Não eram muitas, 5 no máximo, mas estavam todas andando pela casa. Eu fiquei naquele canto por mais de uma hora, até que eles foram embora.

Na noite seguinte eu decidi revidar, onde eu consegui a coragem para isso, eu não sei. Quando a noite chegou e as luzes foram apagadas, eu fiquei escondido de novo até eles chegarem. Quando eu os vi, eu decidi fazer algo que a maioria das pessoas não faria, eu resolvi enfrentá-los. Então eu me movimentei pela escuridão até ficar atrás de um deles e simplesmente falei "Vocês poderiam sair da minha casa?" Estranhamente a sombra se virou, com se estivesse me encarando agora. Ela ficou maior e se espalhou pelo chão, mas tudo o que eu consegui falar foi "Grande coisa, agora saia". Depois disso elas foram embora. Isso se repetiu por mais algumas noites, até que toda aquela atividade pareceu parar.

Mas cerca de uma semana depois eu acordei lá pelas 2 da manhã e senti uma vontade incontrolável de sair da minha cama o mais silenciosamente possível e me esconder em algum canto, o que eu fiz o mais rápido possível. Então eu vi "ele", quem quer que ele seja. Ele tinha forma humana, mas completamente escuro, como as outras sombras. A única coisa que eu conseguia perceber é que ele estava com um chapéu, fora isso não dava para notar mais nada. Ele andou até o pé da minha cama e se abaixou, procurando por mim. De novo eu não senti medo e imaginei que ele iría embora assim como os outros, então eu falei em uma voz alta e cheia de determinação "Saia de perto da minha cama!" Ele se virou para mim e simplesmente desapareceu.

Na noite seguinte eu acordei de novo, com a mesma sensação, e de novo eu sai correndo da minha cama, mas dessa vez decidi me esconder debaixo da mesa da cozinha, já que com a porta aberta eu tinha uma visão perfeita do meu quarto. De novo o homem sombra apareceu. Primeiro ele foi olhar no canto onde eu tinha me escondido na noite anterior, e então foi me procurar na minha cama. Dessa vez eu decidir bancar o caçador. Eu sai do meu esconderijo e me sentei na porta do meu quarto, com as pernas e o braços cruzados. Então eu soltei um riso baixo e esperei ele se virar. Ele desapareceu de novo, mas eu sentia a presença dele ainda, então eu falei "Pare de tentar, esse é o meu quarto. Você nunca pode me encontrar aqui, mas eu posso te achar. Saia e não volte mais, eu não tenho medo de você." Eu acredito que ele saiu logo depois que eu falei isso. Depois dessa noite, eu nunca mais senti nada de novo, eu não tive mais problemas para dormir. As minhas noites ficaram muito tranqüilas depois disso tudo.

Mas como eu disso, com os anos eu acabei me esquecendo disso tudo. Eu nunca contei nada para ninguém, e nunca mais senti medo do escuro. Eu acho que as vezes coragem é a melhor arma nessas situações.

 

Valmir - Recife - PE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1